In memoriam

Acho que quase todo neto curte o seu avô. Há algum tempo, quando o Orkut ainda era moda, visitei uma comunidade chamada “Avôs nunca deveriam morrer.” Está certo, eles nunca deveriam morrer. Quando vim para a Irlanda, sabia que aconteceria, cedo ou tarde. E como não posso estar presente com minha família no Brasil, vou deixar umas palavras em lembrança do meu querido avô.

Meu avô era um homem espetacular. Era trabalhador, não fazia corpo mole. Durante minha infância, morei numa casa embaixo da casa dos meus avós, então eu estava sempre com ele. Ele adorava os Três Patetas, os Gatões e Chaves. Nunca gostou de Chapolin e sempre me dizia que não entendia onde eu via a graça em assistir o seriado. E eu sempre respondia “não entendo onde o sr. vê graça nos Três Patetas.” Toda a vez que eu lhe pedia que me contasse uma piada, ele dizia:

– Tinham três amigos que acabaram de cozinhar. Eles viram os pratos sujos e fizeram uma aposta: todos colocariam a cabeça dentro de um balde cheio de água, o primeiro que sair lava os pratos ……… O que aconteceu? Morreram todos!!!

E toda vez que contava essa piada, ele chorava de rir. Uma risada que animava nosso dia. Tenho algumas lembranças bem claras dele:

– O cheiro do creme de barbear que ele usava, todo domingo antes de ir à missa.

– Um dia ele me disse que iria fazer cachorro quente para nós, mas ele nunca colocava ketchup. Isso me revoltava, onde já se viu comer cachorro quente sem ketchup?

– Ele gostava muito de mamão, comia mamão como se a fruta lhe trouxesse à mente aquilo que lhe dava esperança. Comia e sorria.

– Ele me ensinou a dirigir, começamos quando eu tinha 13 anos num Pegeout 106 Soleil.

– Adorava jogar dominó. E era um mestre nessa arte. Nós jogávamos muito e ele nunca queria jogar outro jogo. Uma vez tentei ensinar-lhe a jogar Street Fighter no Super Nintendo. Após uma tentativa, voltamos ao dominó.

Ele era um daqueles senhor portugueses cheios de histórias para contar. Aprontava muito, vivia a vida bem. Como todo bom português, comia bacalhau como a gente come arroz e feijão. Era sapateiro, teve uma lanchonete, viveu de aluguel de algumas casas. E eu não quero me gabar, mas eu era seu neto favorito. Ele sempre perguntava por mim e quando estávamos todos os netos reunidos em minha antiga casa no segundo andar, ele ia até a escada e gritava “Tchau, Leonardo!” e nunca ia embora se eu não descesse para lhe dar um beijo. Ele era demais mesmo. Todo Natal guardava uvas passas para mim. Quando comecei a ficar mais velho, comíamos nozes. Na virada do ano, ele sempre me levava ao último andar de sua casa para vermos os fogos.

Quando ficou doente, foi muito triste para todos. Porque vimos a vida de um homem se perder vagarosamente, em passos curtos como quem não quer continuar caminhando. Ano passado, antes de ficar doente, ele disse aos filhos “Cuidem da sua mãe porque agora ela é como um pássaro sem ninho.” Uma das lembranças mais tristes que guardo na vida, foi um dia antes de vir para Dublin, minha avô disse “Dá um beijo nele, porque ele não estar mais aqui quando você voltar” e ouvi então minha avó cantar uma música que fez para ele. Não lembro da letra, mas a música falava sobre a dor que sentia por saber que chegaria o dia que não mais veria seus olhos brilhando e seu sorriso de alegria. Esse dia sinceramente acabou comigo.

Senti na minha avó a dor de perder um grande amor. Viveram mais de 50 anos juntos e um dia tudo se foi. Ontem estava em casa estudando e recebi uma mensagem do meu irmão “Vo morreu.” Simples assim… não há mais o que dizer. Ele estava conosco e de repente a vida com ele já não é.

Aprendi com alguns amigos queridos que o mais difícil de enfrentar não é a saudade… é a presença. A presença da ausência.

Sei que é difícil dizer, mas Deus respondeu nossas orações. Ele sofreu demais por causa da doença e descansou. Deus o deu, Deus o levou; bendito seja o nome do Senhor. Meu avô deixa muita saudades. Mas a esperança é que um dia o verei de novo no reino do meu Senhor.

Obrigado pela aventura! Agora parta para a próxima. Até logo, vô e se divirta. Até nossa próxima partida de dominó.

Em memória de José Maria Filipe
22/05/1925 – 11/11/2011

4 Comentários

Arquivado em Minha caminhada

Caim e Abel – Você e…?

Uma das mais conhecidas histórias da bíblia é a história de Caim e Abel. É uma história chocante que mostra até onde a maldade humana é capaz de ir: um homem que mata seu próprio irmão.

A história começa quando Caim oferece um sacrifício a Deus. Abel faz o mesmo, porém a história relata que a oferta de Abel vinha do seu melhor. Como pastor, escolheu “as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho.” Enquanto o sacrifício de Caim é relatado como “uma oferta.” E Deus aceitou com agrado Abel e sua oferta, mas Caim e sua oferta não foram aceitos. Ser rejeitado fez com que Caim se enfurecese.

E Caim, cheio de fúria e transtornado, mata Abel.

Mas antes do crime, Deus avisa a Caim que “o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo.” Essa história é lida e relida causando nojo, afinal de contas, quem mataria seu próprio irmão? Quem mataria seu irmão por inveja? Quem faria uma coisa dessas?

A resposta é simples: você faria.

Imagine um mundo onde não há consequências pelos seus atos perante a lei e o convívio social. Se você pudesse escolher matar alguém e não fosse punido, quem você mataria? O que nos impede de cometer crimes é a lei ou nossa vontade de não cometê-los?

No Evangelho de Mateus, Jesus expande a ideia de assassinato dizendo que aquele que irar-se contra seu irmão é culpado de assassinato. Na carta aos Efésios, Paulo ainda vai mais longe e diz que “quando vocês ficarem irados, não pequem.” Você pode irar-se, mas a partir do momento que sua ira se torna assassinato, você é tão culpado como se realmente tivesse cometido o crime. A inveja de Caim fez com que perdesse o controle de sua fúria. O próprio Deus veio a ele avisar que as coisas ficando sérias demais, mas Caim escolheu não ouvir. Caim escolheu abrir a porta ao pecado que batia insistentemente.

A história de Caim e Abel se repete todo dia. Quando um amigo ganha algo que você quer muito, a inveja toma conta e gradativamente o sentimento transforma a imagem dele em alguém não tão amigo assim. A garota ideal para você está com o alguém errado. Seu colega de trabalho foi promovido e você não. Na faculdade, há algum aluno com desempenho melhor. Quem dirige o carro que você quer? Quem tem a namorada que você gostaria de ter?

O pecado bate à porta. Ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo.

A história de Caim é a sua história. A pergunta que fica é: quem é o seu Abel?

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Deus e Frozen Yogurt

Hoje não foi legal. Não aconteceu nada de ruim em meu trabalho, também nada de bom. Mais de uma vez me perguntaram se eu estava bem. Eu estou, não aconteceu nada. Mas foi um daqueles dias difíceis de saborear. Parecia que o dia tinha gosto de cinzas… Logo que terminou meu expediente, foi ao Shopping perto do escritório comprar um Frozen Yogurt. Tenho descoberto um novo prazer em tomar esta sobremesa, gelada, gostosa e saudável. Pode me chamar de gordo, mas o Frozen Yogurt deu um “up” no fim do dia. Vim caminhando, comparando o decorrer do hoje com o sabor do frozen  yogurt até chegar em casa. Terminei logo que entrei no prédio, pensando em como Deus tem sido bom. Mesmo quando o dia não é fácil e sinto o peso do mundo nas contas, Deus é bom. Aquele sabor refrescante me fez lembrar de um Deus refrescante.

Os antigos professores da Torá tinham um costume de começar suas aulas com as crianças que vinham aprender pela primeira vez sobre a lei de Deus. Pegavam um pouco de mel, pingavam uma gota na mão de cada um dos pequenos para que experimentassem aquele doce sabor e lhes diziam “que a Palavra do SENHOR seja como mel aos seus lábios.”

E quando a palavra de Deus perde o sabor de mel?

Faz tanto tempo que observo pessoas que se aproximam de Deus com fatiga por causa daquilo que Deus diz que é certo ou errado. Vejo pessoas lendo a bíblia com tanto pesar, como se tudo que Deus quisesse fosse ruim e elas tivessem sempre opiniões melhores.

No livro de Êxodo, Deus liberta os escravos israelitas de um governo opressor do faraó egípcio e o povo celebra essa libertação com dança, música e festejando de uma forma que qualquer república da ESPM se sentiria diminuída. Deus os faz passar por um deserto e eles caminham no deserto por um longo tempo, chegando ao ponto de que o povo começa a sentir saudade da vida no Egito. Sentir saudades da vida de opressão e desespero. Certa vez, uma garota me disse “Deus quer demais de mim e eu sinto falta da vida que levava antes.” Por que a saudade do Egito?

Mais tarde, no livro de Mateus, Jesus diz “tomem sobre mim o meu jugo.” O jugo era uma ferramenta utilizada na agricultura por animais que aravam a terra, foi criado para tornar o trabalho mais leve. O jugo também era o conjunto de ensinamentos de um rabino, sua interpretação daquilo que a Lei dizia. E Jesus ainda acrescenta “meu jugo é leve.”

Aquilo que Deus falou não foi dito para que você fosse mais oprimido com novas responsabilidades, além do que você já precisa fazer. Se você enxergar a bíblia como um livro de obrigações, ela sempre terá gosto de cinzas. A bíblia é a história de que redenção é possível. Redenção é possível para nós.

Quando você sentir o peso do mundo nas costas, que a Palavra de Deus seja como Frozen Yogurt nos seus lábios. Porque a redenção é simplesmente saborosa.

P. S.: Caso você não goste de Frozen Yogurt, substitua por Häagen-Dazs ou sua sobremesa favorita e se delicie.

2 Comentários

Arquivado em Pensamentos, Trabalho

Caps Lock – A diferença que ele faz

Deixe um comentário

Arquivado em Geek moment, Trabalho

Promessas

As pessoas sempre fazem promessas. Mas as promessas são superestimadas.Todas as semanas, casais de diversas partes do mundo fazem promessas no altar, promessas de que vão mudar, promessas de que a partir daquele dia, seriam novas criaturas.

O problema é que promessas não valem de nada quando uma pessoa não está capacitada para cumpri-las. Promessas só são válidas se realmente refletem um desejo interno que pode ser externalizado nas ações de quem promete.

O que realmente indica se uma pessoa é capaz de cumprir sua promessa é seu histórico. Sua caminhada com Deus, sua vontade de mudar, sua busca em ser uma nova pessoa.

Pessoas tolas acreditam que um dia encontrarão a pessoa certa e tudo mudará.

Pessoas sábias têm convicção que precisam mudar hoje para mudar o seu futuro.

Via @AndyStanley

Aprendi em: http://www.northpoint.org/messages/the-new-rules-for-love-sex-and-dating

 

Deixe um comentário

Arquivado em Minha caminhada

A escola da pornografia

A pornografia é como uma escola. Muitos homens decidem por livre espontânea vontade matricular-se nela crendo que podem cancelar a matrícula a qualquer momento. E nessa escola se aprende basicamente três lições:

  1. Um corpo não é suficiente
  2. Um corpo real não é suficiente
  3. O corpo da sua esposa não é suficiente

Homens, cancelem a matrícula enquanto é tempo, pois elas, esposas, que sofrerão tendo de competir com mulheres que nem são reais.

(Via @AndyStanley)

Deixe um comentário

Arquivado em Minha caminhada

The New Rules for Love, Sex and Dating – minhas impressões

No início de maio comecei a escutar uma pregação chamada The New Rules for Love, Sex and Dating do Andy Stanley. Ouvi a primeira parte de uma série, e fiquei chocado com o quanto Deus falou no meu coração. Eu nunca fui de ouvir muitas vezes a mesma pregação e já é a terceira vez que termino de escutar a série inteira.

Esta série é direcionada aos solteiros. Solteiros que buscam uma esposa/esposo e querem acertar. Jovens que viram o casamento dos pais cheio de erros e querem que os erros não se repitam. Diversos assuntos são abordados:

– Pureza
– Intimidade
– Esforço
– Caráter
– Pornografia
– Respeito
– Falsas promessas

Em tudo que ouvi, percebi que quero ser um homem diferente. Eu não quero parecer diferente, quero ser diferente.

Em um mês sinto que Deus tem transformado meu coração e quero deixar aqui anotado algumas lições que tenho aprendido com o que eu ouvi.

A bíblia não fala sobre o que se fazer para encontrar uma pessoa certa. Mas quando leio buscando em como me tornar a pessoa certa, as palavras saltam da bíblia.

Tenho aprendido muito. E recomendo a todos os solteiros.

Quem quiser escutar: http://www.northpoint.org/messages/the-new-rules-for-love-sex-and-dating

Deixe um comentário

Arquivado em Minha caminhada