Arquivo do mês: setembro 2009

Tolerância Estúpida

1244647445962_f
Tem certas coisas que me frustram demais no meio cristão como quando fico sabendo que os pastores roubam das pessoas ou algum caso de pedofilia de alguma pastora. Ontem, passei em uma daquelas comunidades cristãs do Orkut e participei de um debate com uma mulher que ensinava pessoas que Jesus é Salvador, mas nós devemos continuar guardando a lei mosaica em todos os pontos, até circuncisão. Não quero entrar em detalhes em como isso é falso, mas sim no que aconteceu depois. Um pessoal cristão começou a cair nos argumentos falsos ditos e começaram a se interessar pelo falso ensinamento. Minha atitude foi solicitar que os moderadores da comunidade proibissem ensinamentos que fossem contra a bíblia, pois isso só confunde a cabeça de quem crê em Cristo de verdade. Os moderadores retornaram dizendo que todos têm liberdade de expressão e as pessoas da comunidade me disseram que eu não estava tendo amor pela pessoa que ensinava na comunidade.

Sabe, isso me deixa p* da vida, essa atitude dos cristãos. Parece que depois que descobriram que a bíblia diz que Deus é amor (1 Jo 4.16), esse tem sido o versículo bode expiatório para aceitarmos qualquer coisa que as pessoas façam. Todos são bem-vindos à igreja: testemunhas de Jeová, mórmons, judeus, adventistas, etc. Mas NAO PODEM ENSINAR. Os lideres do rebanho muitas vezes agem como verdadeiros covardes que usam a desculpa de que Deus é amor para tolerar o falso ensinamento. Como teria sido se Calvino e Lutero tivessem tolerado as atitudes dos papistas? Nenhuma das nossas igrejas existiria. E por que eles agiram? Por que o ensinamento propagado não era bíblico.

Chega de líderes que toleram lobos no meio das nossas ovelhas. O líder não pode amar o lobo da mesma maneira que ama a ovelha porque se não o lobo devorará o rebanho de Deus. Nós defendemos as ovelhas do lobo porque amamos o povo de Deus. Chega de tolerar falsos mestres no nosso meio e dizer que cada denominação tem a sua visão e que devemos cada um ficar em nosso canto. Quando a verdade que Jesus Cristo é Deus, que Ele morreu por nós para remissão dos pecados, que Ele ressuscitou ou qualquer outra verdade é contestada, a nossa obrigação é abrir a boca. Quando somos omissos, milhares de pessoas são enganadas. Parem de citar versículos fora do contexto nessas horas, por favor.

Já ouviu falar na Igreja Peniscostal do Poder? Essa é uma igreja que prega o sexo livre e permite orgias na comemoração da santa ceia. Chamam Deus de sinhô para expressarem sua intimidade com ele e nunca escrevem Deus com letra maiúscula. Adoram o anticristo e esperam por sua volta. Na verdade, essa igreja é uma sociedade ateísta que se mascara com o nome de igreja. Descobri que é uma igreja fake que atrai as pessoas e quando é apresentado, não passa de um “culto ateu”.

Nós precisamos de soldados sinceros que estejam dispostos a defender o Evangelho e não pessoas tolerantes que dizem que Deus é amor a todo o momento. Sinto vontade de bater em uma pessoa assim, parece o Flanders dos Simpsons. O cara está sempre sorrindo, dizendo que tudo é perfeito e nenhum problema o incomoda. Cansei de líderes que pareçam com o Flanders, quero líderes que pareçam com Cristo. Eu quero bater quando vejo nos Flanders quando eles dizem que devemos ser tolerantes com todos e aceitar tudo porque Deus é amor. Essa tolerância estúpida leva pessoas todos os dias para o inferno porque morrem sem conhecer quem Jesus realmente é e o que realmente fez!!!!

Na boa galera… chega de dizer que somos tolerantes e falar de amor nessas horas. É o nome de Jesus Cristo em jogo, é a sua glória que importa. Precisamos de líderes que tenham discernimento espiritual para enxergarem quando há um lobo no nosso meio tentando destruir o que Cristo construiu. Chega de tolerância com o pecado e com os ensinamentos falsos. Chega de covardia.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Pensamentos

Salvador e salvadores

Quando você identifica seu ídolo, existe uma dificuldade em livrar-se dele, pois você o põe no posto de salvador e deus da sua vida. Nós somos criaturas adoradoras criadas para adorar o nosso Criador e existem somente duas opções: adorar o Criador ou adorar algo criado por Ele.
Mark Driscoll costuma dizer que nossos problemas e pecados não são com bebida, sexo, dinheiro ou cigarro, na verdade eles são todos problemas de idolatria. Ao idolatrar algo, uma pessoa vê no ídolo um salvador, ela pensa: “é isso que vai me salvar”. E quanto mais ela busca salvação no ídolo, mais ela afunda e mais se aprisiona. Já vi todos os tipos de pessoas buscarem a solução dos seus problemas no álcool e é sempre a mesma história: “estou infeliz… eu mereço beber para amenizar o que eu sinto, o álcool me fará bem e contente”. Em essência, o que diz é “o álcool é a minha salvação”. Um ídolo faz com que nos entreguemos a ele para encontrar conforto e para comemorar: “consegui um trabalho novo! Vamos comemorar dando PT!” ou então “minha namorada me largou e minha vida está destruída. Vou beber porque não agüento a vida nesse estado”. Como seres criados para a adoração, nossas vidas giram em torno de algo, seja Cristo, seja qualquer outra coisa que Ele criou.
Os casamentos da nossa era estão estragados porque os cônjuges botam no lugar de Cristo diversas coisas como trabalho ou futebol. Houve alguma briga e a esposa decepcionou seu marido, ele fica até mais tarde no trabalho ou arruma algum jeito de entrar na liga de futebol do bairro para poder desaparecer (é aquele tipo de homem covarde que pensa que ficando longe, seus problemas se resolvem). Nós criamos salvadores o tempo inteiro e vamos a eles em momentos bons e em momentos ruins. Tem um rapaz na minha sala que acredita em justificação por fé no Lula. O seu ídolo salvador da pátria é o presidente e a fé nele é correta.
Uma coisa tão comum nas igrejas é usar a Cristo como meio para chegar ao ídolo. Quem louva Cristo com o objetivo de ter uma casa grande, uma conta bancária gorda, um carro de última geração não adora o Cristo, mas usa-O como se fosse um mero caminho para os nossos ídolos. Cristo deixa de ser o fim da nossa adoração para tornar-se o meio da nossa idolatria. O mundo precisa ver em nós que Jesus é suficiente e infelizmente fica difícil quando o que nos é realmente satisfatório é o dinheiro. É quando você perde seus ídolos e continua adorando a Cristo que o mundo vê que Ele é suficiente.
John Piper, um pastor que admiro demais, sempre diz: Cristo é mais glorificado em nós quando nós somos mais satisfeitos Nele.

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Wait and See

I’ve been trouble since the day that I got here
Trouble till the day that I disappear
That’ll be the day that I finally get it right

There is hope for me yet
Because God won’t forget
All the plans he’s made for me
I have to wait and see
He’s not finished with me yet

I never really was that good in school
I talked too much, broke the rules
Teacher thought I was hopeless fool alright

I don’t know how but I made it through
It’s one of those things that you’ve gotta do
But I always had a knack for telling the truth

Still wondering why I’m here
Still wrestling with my fear
But oh, He’s up to something
And the farther on I go
I’ve seen enough to know
That I’m, not here for nothing
He’s up to something

So now’s my time to be a man
Follow my heart as far as I can
No telling where I’m ending up tonight
I never slow down or so it seems
But singing my heart it’s one of my dreams
All I gotta do is hold on tight

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Pastor Ryu! ! ! !

Deixe um comentário

Arquivado em Pensamentos

Idolatria Moderna

fast_food
Nos últimos três meses, tenho aprendido muito sobre idolatria com dois pastores americanos por meio da Internet. O que a maioria das pessoas pensa sobre idolatria é errado: idolatria é SOMENTE em culturas longínquas como na Índia ou no Nepal, em lugares onde pessoas sacrificam frangos para estátuas e se ajoelham perante um elefante sentado em um trono. Idolatria acontece bem aqui, tanto aqui quanto lá.
Nós somos adoradores por natureza, o ser humano sempre irá adorar alguma coisa, seja Criador, seja criação (Romanos 1.25). Há somente duas possibilidades, adoramos a Jesus Cristo ou adoraremos a qualquer outra coisa que ele criou. Somos idólatras ou adoradores verdadeiros. Quase todos os problemas que temos são relacionados à idolatria. Se você idolatra conforto, acaba se tornando um preguiçoso que não gosta de acordar cedo para trabalhar, quer ficar até tarde na cama e, eventualmente, perderá seu emprego. Se você idolatra sexo, acabará se tornando uma pessoa sedenta que não pode ver alguém do sexo oposto passar que já lhe tira a roupa com os olhos, imaginando como seria estar na cama com aquela pessoa. Você perderá horas vendo pornografia na Internet, você cometerá adultério porque o seu deus é o sexo. Se você idolatra o álcool, a sua vida é focada nos dias que você sairá com os amigos para encher a cara porque essa é a sua diversão. O seu dinheiro é diretamente voltado para o álcool e você planeja seu orçamento mensal para poder comprar a maior quantidade possível de bebidas e você não consegue acordar direito antes do seu shot de Irish Coffe. Se o seu ídolo é o dinheiro, toda a sua vida será em torno das suas posses e da sua conta bancária, você trabalhará muito e nada mais será tão importante na sua vida como dinheiro. Se o seu ídolo for a comida, você irá comer muito, muito mesmo; a comida será sua recompensa quando você está feliz e seu conforto quando você está triste. Se o seu ídolo for reputação, você fará de tudo para impressionar as pessoas que você gosta, não porque as ama, mas porque você quer que elas vejam como você é demais e quer que falem bem de você.
Os ídolos são deuses mentirosos que oferecem algo que parece bom. O preguiçoso pensa que essa vida irresponsável é a melhor coisa do mundo, porém ele se sente vazio e pensa que a culpa é do mundo, jamais dele. O deus do sexo oferece noites prazerosas e surpreendentes, diversão sem igual e experiências novas dia-a-dia. O dinheiro promete felicidade e a comida satisfação.
Na carta aos romanos, Paulo pede que nos ofereçamos como sacrifícios vivos a Deus (Romanos 12.1). A verdade é que nos oferecemos como sacrifícios vivos ao Deus vivo ou a ídolos e falsos Deuses. Aprofundando um pouco nesse assunto, cada tipo de idólatra faz o seu sacrifício. O alcoólatra se sacrifica por seu deus, seu fígado é destruído, sua família acaba se separando, ele perde seu emprego porque chega bêbado no trabalho e todas as suas economias são investidas para nutrir seu deus. A pessoa que idolatra conforto se entrega ao ócio, perde o horário todas as manhas e acaba não conseguindo se manter em nenhum trabalho. Seus trabalhos universitários são lamentáveis e está sempre de DP porque o que a pessoa quer é descansar. A sua saúde fica comprometida porque não quer fazer exercícios, quer dormir e descansar. Eu conheço um cara assim, ele já saiu de três faculdades porque não quer sair da cama, duas dessas faculdades ficavam a menos de 10 minutos do lugar onde ele mora. Ele chega a passar dias sem tomar banho e dorme por mais de 24 horas, além de não querer trabalhar. Esse é o tipo de homem que fica na casa da mãe até os 50 porque ela lava suas roupas e lhe dá R$ 10,00 para ir ao cinema.
Pessoas que idolatram sexo podem se envolver em um caso com outra pessoa fora de seu casamento ou namoro e sacrificar o relacionamento para a manutenção do ídolo. Quando o seu ídolo é o cigarro, você sacrifica toneladas de dinheiro em toneladas de maços e sacrifica seus pulmões para poder manter o vício. Se você idolatra dinheiro, você irá trabalhar muito ao ponto de sua esposa surtar por você nunca estar em casa e seus filhos ficarem doentes porque você nunca está por perto. Você sacrifica o bem-estar da sua família e a felicidade dos pequenos porque você quer status e fama. Aos 35 anos, você tem um infarto por causa do stress emocional e a adrenalina de todos os dias. Se você idolatra comida, você sacrificará sua forma física, seus níveis de colesterol e gordura para poder comer muito e engordar muito.
Eu moro em Alphaville e o tipo de idolatria que mais vejo é a idolatria por reputação. As pessoas muitas vezes não tem dinheiro, mas querem mostrar que tem, então compram coisas que não precisam com o dinheiro que não tem para impressionar pessoas que não gostam. Já pessoas que se endividaram por anos e anos e não conseguem pagar a faculdade dos filhos porque quiseram comprar uma BMW em 1000 parcelas. Sabe, compram coisas inúteis o tempo inteiro e ninguém sabe para que servem ou então compram coisas caras como câmeras digitais de 8kg com lentes importadas da Islândia e depois de três vezes de uso, a câmera vai direto para o armário e nunca mais será usada. Tudo isso para que todos possam ver como a pessoa tem coisas legais e faz coisas diferentes. É a incrível popularidade medida por bens, quanto mais se tem, melhor se é.
Nossos ídolos possuem seus templos: restaurantes fast-food, concessionárias, bancos, cassinos, casas de prostituição, bares, baladas. Só que é muito mais difícil identificá-los como templos quando estão em nossa cultura. Já os vimos tantas vezes que simplesmente deixamos de vê-los como o que realmente são.
Dinheiro, comida, sexo, álcool, conforto, carros, diversão são coisas boas criadas por Deus. Mas quando uma coisa criada se torna para você algo no mesmo nível de Deus, isso é ruim e leva à morte e destruição. Nós todos temos ídolos e precisamos estar atentos, vou contar um caso específico meu para que você possa entender como ídolos são difíceis de identificar. Eu sempre fui um cara apaixonado por livros, sempre gostei de ler todo o tipo de coisa, tenho uma biblioteca em casa e tenho certeza que já li algo em torno de 1000 livros. Aos 13 anos comecei a ler e toda a semana pedia ao meu pai que me trouxesse livros e mais livros. Quando fui fazer intercâmbio em 2007, voltei com uma mala reservada somente para livros, havia 11 kg de livros que eu comprei por diversas livrarias no exterior. Quando entrava no ônibus eu lia, quando estava em casa eu lia. Comecei a trabalhar e comprar muitos outros livros, muitas vezes sem dar conta de ler tudo aquilo que comprei, sempre fica com uns 20 livros parados em casa e mesmo assim ia na livraria e comprava outros cinco. E ninguém podia tocar meus livros, eu não gostava de emprestá-los a ninguém e mentia que já estavam emprestados quando alguém pedia. Até brigava com a minha mãe caso ela tirasse algum do meu estoque para ler. Chegou o momento que eu deixava de sair porque queria ler, não queria sentar na mesa em família porque queria jantar sozinho enquanto lia e deixava de orar porque queria ler. Estava junto com amigos e começava a ler no meio de uma roda de pessoas. Deus me revelou esse ídolo e eu pude destruí-lo pela Sua graça e bondade para comigo. Mas não foi fácil, eu queria me manter como antes, lendo cada vez mais. Mas eu tive que escolher: Jesus ou leitura?? Escolhi por Jesus e o ídolo da leitura morreu. A diferença neste falso deus é que ele não ressuscitou ao terceiro dia.
Há um grande problema nos ídolos, pois eles nos oferecem algo que não é verdade, seja felicidade, conforto, satisfação ou qualquer outra coisa. Quando você não alcança o que o ídolo prometeu, tenta se afundar um pouco mais nele para ver se chegando um pouco mais fundo, você não alcança a promessa. Quando o nosso ídolo é arrancado de nós, ficamos paralisados. Experimente dizer ao idolatra do dinheiro que ele precisa trabalhar um pouco menos ou dizer ao glutão que talvez ele devesse começar uma dieta e fazer exercícios. A pessoa já ataca de volta dizendo que você é um intrometido ou feriu os seus sentimentos. Nesse caso, é melhor ferir os sentimentos de alguém com a verdade do que deixar-lhes sofrer o dano da destruição pela idolatria.
Sinceramente, vou usar das palavras do apóstolo Paulo sobre os israelitas no Egito e a idolatria que cometeram: “Tudo isso aconteceu com os nossos antepassados a fim de servir de exemplo para os outros, e aquelas coisas foram escritas a fim de servirem de aviso para nós. (…) Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair” (1 Coríntios 10.11-12). Eu conheço as reações das pessoas quando o assunto é idolatria: a maior parte pensa que não tem ídolos nenhum e que está totalmente livre (meu caso foi esse por muitos anos). Eu humildemente peço, ao invés de negação, comece a pedir que o Senhor Jesus mostre quais são os ídolos que você precisa destruir. E se você não conhece Jesus Cristo, saiba que Ele é melhor do que qualquer falso deus que você veja por aí. Todos os falsos deuses morrem e o único Deus verdadeiro é aquele que morreu e ressuscitou ao terceiro dia por nós.
Fiquem longe dos ídolos! (1 João 5.21)

1 comentário

Arquivado em Pensamentos