Arquivo do mês: novembro 2009


Acho que não é preciso escrever mais nada.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

O que aprendo com meu cachorro


Não precisa me conhecer muito para saber que eu sou um aficionado em cachorros, eu curto aqueles cachorros bem grandes, peludos, parecem uns ursos. Além de achar que são lindos, o que me atrai neles é o companheirismo. Sempre odiei gato porque é um bicho traiçoeiro, sempre achei pássaro um animal meio sem graça, mais bonito de se ver do que se ter, sempre me recusei a ter um peixe porque não vejo diversão nenhuma neles. Ah, e eu gosto de cachorro, mas odeio poodles. Há alguns meses atrás meu pai inventou de comprar um macaco, ele queria porque queria comprar um macaco. Chegamos no petshop e (dizendo o óbvio), não havia macacos à venda. Porém, tinha um filhote de Border Collie que conquistou minha família inteira. Eu sempre quis um cachorro legal, inteligente e companheiro e só havia tido uns cachorros burros que não sabiam fazer nada além de fugir de mim. Mas o Calvin (nome escolhido depois de uma infinidade, passamos por Ike, Gregory, Negresco, Bó, Mané e muitos outros) se tornou um real companheiro, ele fica comigo quando estou fazendo meus trabalhos de faculdade, quando estou na internet conversando com alguém, quando leio a bíblia, quando almoço e tomo café da manhã, quando vejo TV, etc. Mas são duas coisas que me marcam nele, uma que não importa se ele tem comida, água, cama, brinquedos, ele chora quando não estou com ele (esta idéia foi tirada do blog loucos no mundo: HTTP://loucosnomundo.blogspot.com . A outra é que nos momentos que eu brigo com ele por fazer coisa errada, ele não corre de mim, mas corre para mim, senta no meu colo e pedi carinho; até mesmo quando minha mãe ou alguém o pega fazendo algo de errado, ele vem se esconder embaixo da minha cama enquanto estou aqui.
Sei que pode parecer estranho, mas a maneira que meu cachorro me vê ensina bem como deveria ver a Deus. Mesmo quando tudo está perfeito, tudo está no lugar, eu tenho comida, água, abrigo e recreação, sinto a falta Dele. Quando Ele me corrige ao invés de correr Dele, devo correr para Ele. No meio de um momento difícil ou quando sabemos que fazemos algo de errado, queremos correr para bem longe de Deus, com vergonha do que fizemos e Satanás aproveita essa situação para sussurrar: corre para bem longe que Deus castiga. Meu cachorro me ensinou que não importa o quão ruim foi o que eu fiz, o colo de meu Pai eterno está sempre disponível para o dia que eu errar e precisar de carinho. Quando erro, é para Ele que correrei, não para longe.

E quando está tudo perfeito, em paz, calmo e feliz, você tem tudo o que precisa, Deus continua fazendo falta.

Você também precisa começar a se parecer mais com um cachorro!

Se você se escandalizou que eu disse que você precisa agir como um cachorro, lembra que Jesus comparou a Deus com uma galinha.

4 Comentários

Arquivado em Pensamentos

Arrependa-se!!!

Quando foi a última vez que você ouviu um convite ao arrependimento? Faz pouco mais de dois anos que freqüento a igreja e não consigo me lembrar de um culto onde tenha havido um convite assim (vai ver tenha tido algum, mas foi um daqueles domingos de manhã que eu escolhi dormir mais e ir no culto da noite mesmo). Em todos os acampamentos que fui, o chamado sempre é “andar com Jesus”, mas nada sobre arrependimento. É curiosa essa maneira que a igreja lida com o arrependimento, pensam que é ofensivo falar nisso. O convite ao arrependimento é realmente pesado, quando João Batista saiu dos desertos convidando Israel inteiro a uma mudança radical de vida, ele irritou bastante os religiosos da época, chamando-os de geração de víboras que encontravam segurança em seus ancestrais e se preocupavam demais com criticar os outros do que ver que eles próprios necessitavam de mudança de vida. Ele teve a coragem necessária de repreender Herodes, homem poderoso do império romano que era extremamente excêntrico e casara com sua irmã, cometendo incesto. João Batista sabia que não importava se alguém fosse religioso ou mesmo político extremamente influente, esse alguém precisava de arrependimento.
Uma das coisas que me alegra é saber que algum cantor, ator ou alguém do mundo da mídia se converteu, o mundo da mídia é muito trash e fornece todos os artifícios necessários para viver uma vida prazerosa sem ter de preocupar-se com Deus. Mas mesmo assim, tem algo de muito errado com muitas dessas conversões. Muitos desses convertidos são entrevistados e é muito freqüente ouvir algo do tipo:

– Você se arrepende do seu passado?
– Não! Se eu pudesse, faria tudo novamente exatamente como eu fiz!!!!

Sinceramente, eu não posso julgar o coração de ninguém e dizer se uma pessoa é um verdadeiro cristão ou não. Mas isso não é uma atitude nem um pouco cristã. Um cristão de verdade é uma nova pessoa, uma nova criatura que morreu para o passado e dizer que faria tudo de errado novamente não é uma atitude de um crente verdadeiro que teve seus pecados perdoados por meio da morte de Cristo e regenerada pelo poder do Espírito Santo. Faz alguns meses quando tive uma conversa onde uma pessoa muito especial para mim me disse que ficava deprimida toda vez que ia em um dos churrascos da sua faculdade porque sempre via seus amigos afogados em álcool. Isso entrou muito forte na minha cabeça porque eu lembro de como era divertido ver as pessoas bêbadas caindo no chão e contando seus segredos que nunca deveriam contar, como eu amava isso! Só que deixei de amar… eu comecei a entender o que significava achar isso deprimente, ver amigos e colegas queridos perdendo a dignidade para ter alguns momentos de prazer. Algo que para mim significava lazer se tornou sinônimo de tristeza.

Martinho Lutero postou suas 95 teses no castelo de sua cidade e abriu-as com a seguinte frase: Toda vida de um cristão é uma vida de arrependimento. Uma das marcas de um cristão verdadeiro é que ele é uma pessoa arrependida que vive em constante arrependimento. Tive um colega na época do colegial que era um crente que ia sempre à igreja e dizia que só se batizaria depois de fizer tudo aquilo que queria fazer, ele queria curtir o máximo possível e dizia que se se arrependesse, não daria para se divertir.

O Antigo Testamento conta muitas histórias de profetas que convidaram nações inteiras para mudar que convertessem seus corações e suas vidas inteira ao Senhor Deus. Uma de minhas histórias favoritas é a de Jonas e sua missão foi declarar a destruição sobre a cidade assíria de Nínive; a cidade não foi destruída porque os ninivitas se arrependeram de seus pecados. Há também a história de Manassés, um rei maléfico que promoveu falsas religiões, praticou magia, colocou estátuas de outros deuses dentro do templo que fora dedicado a Deus, consultou magos e adivinhas; depois de algum tempo foi capturado e lhe caiu a ficha de todas as besteiras que havia feito. Manassés se humilhou e se arrependeu e Deus o restituiu ao seu trono onde teve a oportunidade de retirar toda a idolatria do país. Vindo um pouco para o Novo Testamento, quer exemplo mais clássico de arrependimento que o de Pedro que negou Jesus três vezes e chorou amargamente? Depois da ressurreição, Pedro estava pescando e viu a Cristo na praia, sua atitude foi pular do barco e nadar em direção à praia do mesmo jeito que o seu cachorro corre em sua direção quando você passa um final de semana sem vê-lo.

Jesus pregava e convidava todos ao arrependimento: imorais e os moralistas. Prostitutas, cobradores de impostos, soldados, seminaristas, pastores, fariseus, padres, todos eram chamados, aqueles que estavam perdidos por imoralidade e os que estavam por ditos por moralidade e senso de justiça própria.

O resultado de uma igreja que não chama ninguém ao arrependimento é que ela se torna algo que chamo de “Fábrica de Judas”. Judas Iscariotes foi um homem que andava com o povo de Deus, tratava a Jesus como amigo, se divertia com eles, mas seu coração não amava realmente a Cristo. Ele era alguém disfarçado de crente, parecia muito bem um deles, mas não seu coração não era de alguém regenerado. Quando a igreja prega um Evangelho sem mencionar arrependimento, o perigo é de mais um Judas que “se converte”: está em nosso meio, parece conosco, mas não é um crente. Pense em um cesto de maças onde todas estão lindas e suculentas, porém há uma no meio que está com o miolo estragado. Por fora é uma maça normal, mas na realidade, não serve para nada.

Uma pessoa que larga seus pecados sem arrependimento, não passa de exercício de mudança de comportamento. Infelizmente, existe um boato que os cristãos são um monte de pessoas que fazem um monte de coisas que odeiam: ler a bíblia, fazem sexo depois do casamento, ir à igreja, oração, jejum, etc. A realidade é que não somos um monte de pessoas que fazem o que não querem e perdem toda a diversão que o mundo tem por aí. Quando você se arrepende e crê, tudo muda: você quer ler a bíblia, você quer ir à igreja, você quer orar e conversar com Deus, sua visão de sexo muda, sua vida inteira é diferente. Há coisas que você não sabe se são pecado ou não e você procura saber, você pergunta a amigos que conhecem bem a bíblia, confessa pecados, anseia por realizar a vontade de Deus. Você se torna uma nova criatura e as coisas velhas passam. tudo se faz novo. Dizer que Cristianismo se resume a seguir um monte de regras é diminuir a majestade e o poder de Cristo. Você segue novos princípios porque você mudou e não os segue buscando mudar e reclamando de que você nunca faz as coisas que quer dizendo que a vida cristã é um saco. Existem sim desejos contrários àqueles da vontade de Deus conforme as Escrituras ensinam, porém são desejos conflitantes que atrapalham nosso desejo mais profundo: ser aquilo que Jesus quer para nós.

Cristianismo não é fazer. Cristianismo é ser.

Ninguém pode ser cristão sem que se arrependa antes.
E termino dizendo algo óbvio: Arrependa-se.

2 Comentários

Arquivado em Pensamentos

Um Único Caminho

Deixe um comentário

Arquivado em Videos e outros

A Parábola do Bom Corinthiano

6798482.us_sao_paulo_x_corinthians_224_299
Você julga alguém por seu time de futebol, preferência política, sotaque regional ou nacionalidade?

Todo dia de grande clássico no Brasil fico sabendo que a policia teve de intervir e é triste que o jogo deixa de ser algo para a diversão e se torna algo neurótico. Lembro que meu pai nunca me deixou sair nos dias de jogo porque sempre há confusão, mas um dia marcou minha memória porque eu queria ir para uma peça de teatro lá no centro da cidade, porém fui vetado pelo meu pai, pois era dia de jogo São Paulo X Corinthians. Não lembro qual foi o resultado, só lembro que os torcedores irados precisaram ser contidos pela polícia e mais tarde quebraram diversas lojas também lá pelo centro. O futebol é uma das marcas do Brasil, mas infelizmente tem grandes defeitos. Com base nisso, proponho esta parábola:

E eis que certo religioso torcedor fanático são paulino, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então Jesus lhe perguntou: que está escrito na Lei? Como interpretas? A isto ele respondeu:

Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forcas e de todo o teu entendimento.

E:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás. Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é meu próximo? Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem são paulino saía do Estádio Morumbi vestido a camiseta do seu time em dia de clássico com o Corinthians pela taça do campeonato brasileiro e veio a cair em mãos de criminosos que ficavam à espreita do lado de fora do estádio, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto. Casualmente, descia um pastor são paulino por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Semelhantemente, um padre, também são paulino, descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. Certo corinthiano que voltava de um dos ensaios da Gaviões da Fiel, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e colocando-o dentro de seu próprio carro, levou-o ao hospital mais próximo e tratou dele. No dia seguinte, tirou R$ 500,00 do bolso e os entregou ao responsável pelo paciente, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, aqui está o número de meu celular, é só me ligar a qualquer momento e me passar os dados para depósito. Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? Respondeu-lhe o torcedor fanático pelo são Paulo: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo.

Baseado em Lucas 10.25-37: A parábola do bom samaritano.

3 Comentários

Arquivado em Pensamentos

À imagem e semelhança do que você quiser

calvin-klein-jeans-fall-winter-2007-2008-ad-campaign2

Eu quero perguntar-lhe agora quem é você? Como você se definiria?

Vou dizer uma coisa, uma das maiores mentiras que Satanás semeou no meio protestante é que idolatria é coisa de católico porque existem imagens na igreja. Não quero entrar no assunto sobre imagens em igrejas católicas, creio que muitos católicos sejam verdadeiros crentes e muitos protestantes não conheçam a verdade (e vice-versa). Quero sim falar de como precisamos parar de olhar para os outros e olhar para nós quando o assunto é idolatria. O pensamento protestante se resume a citar alguns versículos como “Não farás para ti imagem de escultura (…) não as adorarás, nem lhe darás culto” (Êxodo 20.4-5). Depois disso, já pensamos “ahh, estou tranqüilo, os católicos são os idólatras”. Lembro bem do pai de uma antiga namorada que sempre falava comigo. Na época eu era católico e ela freqüentava uma denominação protestante e eu não conhecia Jesus de verdade. Daí o pai dela sempre tentava me evangelizar e o “evangelismo” se resumia a mostrar quais versículos das Escrituras falavam de imagem dentro da igreja e contrariavam a teologia católica. Em suma, de Jesus Cristo não ouvi falar nada. Paulo fala para reter o que é bom e assim o fiz, aprendi mais uma das mil maneiras de não evangelizar.

Em Gênesis 1.26, a Bíblia diz que fomos feitos à imagem e semelhança de Deus. Antes do pecado, éramos um pequeno eco do Deus infinito. Porém, quando entrou o pecado, houve separação e o homem não tinha mais em quem se espelhar. Resultado: crise de identidade. O homem perdeu sua referência e não soube mais em quem se espelhar. E toda vez que o homem busca sua identidade em qualquer coisa ou pessoa que não seja Jesus, ele é um idólatra.

O resultado é que o homem cria diversas imagens nas quais se espelha, nós podemos ser à imagem e semelhança daquilo que queremos e isso é idolatria. As propagandas são uma maneira de dar-nos uma identidade, produtos e serviços são-nos oferecidos com o objetivo de sermos alguém. As propagandas dizem:
– Beba nossa cerveja, você será divertido, popular, engraçado e charmoso aos olhos das mulheres.
– Ouça esse tipo de música, você será alternativo e as pessoas vão olhar para você.
– Coma nesse restaurante, mostrará o seu status e como você é importante.
– Use nossas jóias, você será uma mulher como aquelas que você vê na T. V.
– Faça a faculdade X, as pessoas lhe darão prestígio porque sabem que a mensalidade é cara e somente alguém com muito dinheiro conseguiria pagar.
– Use cuecas caras, você será alguém.
– Nosso carro o faz um homem de verdade.
– Este celular o fará mais interessante e as pessoas terão muito mais vontade de falar com você.
– Jogue estes videogames, todo mundo legal os está jogando!
– Use o nosso cartão de crédito, ele significa que você pode comprar muito mais do que realmente precisa.
– Compre nossas chuteiras, você será capaz de jogar exatamente como os grandes jogadores que ganham milhões nos times europeus.

Estes dias vi o comercial do novo Axe Music Star e é um perfeito exemplo do que falo. O comercial mostra um artista entrando no carro com três mulheres lindas, mas quem consegue ficar com elas é um rapaz comum que usa Axe Music Star. O apelo do comercial é “TOME DE VOLTA o que artistas roubaram de VOCÊ”. Em suma, use Axe e você terá aquelas mulheres.

Ouvi um pregador dizendo que nós vivemos em uma sociedade que diz quem somos pelo que consumimos. Vejo de vez em quando uns comerciais que passam uma mensagem do tipo “as pessoas que usam nossos produtos são felizes, confiantes, certas de si e com rumo na vida” e as pessoas que compram os produtos oferecidos na verdade são infelizes, com problemas de auto-estima e não têm a mínima idéia do que fazer da vida. Nesse ano estive na China e uma das coisas que me impressionou bastante lá é o apelativo das propagandas e outdoors. Em geral, as empresas chinesas e ocidentais que usam propagandas por lá nunca usam modelos chinesas para expor roupas, jóias, shampoos, ternos, etc. Usam sempre ocidentais. As propagandas dizem “usem nossos produtos e você será igual uma ocidental”.

O que a mídia na verdade diz é “você está triste? Chateado? Decepcionado? Você está gordo? Você gostaria de ter bastante dinheiro? Não há problema, a única coisa que você precisa fazer é comprar este produto e você será completo e satisfeito, você será exatamente como as pessoas felizes da T. V.”. Você pode até escolher ser à imagem e semelhança daquilo que quiser.

No meio cristão as coisas são pesadas porque a identidade de muitos crentes se encontra na religião. Pessoas que encontram quem são em um senso de justiça próprio e desprezam os outros porque não são como elas são. Há aqueles que idolatram os “apóstolos”, “missionários”, “pastores”, “ungidos” ou qualquer outro termo do show da fé e não aceitam que uma palavra seja dita contra eles, mesmo eles mentindo, criando falsas teologias, usando versos fora do contexto para enganar o povo, eles foram divinizados por seus fiéis.
Ídolos requerem sacrifício, ou você é um sacrifício vivo para Jesus Cristo ou é um sacrifício para o seu ídolo. Eles demandam tempo, dinheiro, saúde, disposição. Assim como Josué, você necessita escolher a quem deve servir: a Deus ou a algo ou alguém. O homem está em busca constante por uma identidade, a importância dada à assinatura do e-mail e a posição de trabalho que vem escrita no seu cartão de visitas é uma prova disso. A única maneira de encontrar identidade novamente é por meio de Cristo, Ele viveu a vida perfeita que não podemos viver e morreu a morte que nós merecemos. Quando nos arrependemos e cremos, nossa relação com Deus é restabelecida. A Bíblia fala que Jesus é a imagem de Deus e quando você quiser saber como realmente deve ser e agir, é só olhar para Cristo. Em Cristo, você renasce para ser algo que você deveria ser desde o principio, não fora pelo pecado: imagem e semelhança do único Deus.
Ou você é um reflexo de Cristo ou você é um idólatra, não há meio termo. Novamente, quem é você? Onde está a sua identidade?

2 Comentários

Arquivado em Pensamentos

Jesus, um cara divertido

Eu gosto bastante desse vídeo aqui porque comprova que para fazer algo legal e com comprometimento não precisa ser algo chato e monótono.

Depois de fazer parte da bateria da igreja, ajudar nos acampamentos, fazer viagem missionária, um lava-rápido e outros trabalhos, cada vez mais repugno o pensamento que trabalho na igreja é chato e monótono. Só porque é serio e exige comprometimento, não deixa de ser divertido. Vou contar que os momentos mais divertidos e descontraídos que tenho na vida é na minha igreja com o povo de Deus.

Claro que existem momentos difíceis e sofridos na vida cristã, o sofrimento faz parte da nossa caminhada como peregrinos na terra. Mas há também o tempo de sorrir e festejar.

Muitos religiosos acusam e apontam o dedo para cristãos divertidos, cristãos que sabem rir. Como é insuportável aquele crente que só sabe levar tudo a sério. Quando Paulo diz “não tenho vergonha do Evangelho”, eu imagino a frase terminando “mas dos evangélicos, sim! Muita!”.

Jesus também sorriu e se divertiu.

Quando lemos a bíblia esquecemos que Jesus também foi divertido. Ele era um homem comum e foi julgado porque não levava tudo a sério, andava com pessoas divertidas, bebia e comia, etc. Ele foi convidado a festas, significa que era um cara legal. Ele mesmo pediu que nós fossemos um pouco mais como crianças. Ele andava com 12 homens e você sabe muito bem o quanto um grupo de homens reunidos consegue se divertir. Pedro vira para Jesus e diz “puxa o meu dedo”. O que os religiosos não suportavam em Jesus era que Ele como um homem qualquer, não fazia pose de bonzão e guru espiritual. Se alguém fosse falar com Jesus, Ele tratava as pessoas com dignidade e não como inferiores. Jesus era convidado para participar de jantares e eventos. Como que um homem assim poderia não ser divertido?

E tenho certeza que Ele sabia aproveitar a vida, ia nas festas e bebia sem se embebedar, era convidado a casamentos e aproveitava a companhia de seus amigos. Um dos motivos que você tanto gosta de estar com seus amigos é porque você é imagem e semelhança de Jesus, seu criador. Ele nos fez e disse que não é bom estarmos sozinhos. Você gosta de companhia porque é um eco de Jesus Cristo.

Seguem aqui umas piadinhas de Jesus (video que me baseei para escrever).

Jesus foi um homem de dores e um homem de risos e tenho certeza que Ele vai me receber no Seu reino com um baita sorriso impresso no rosto e dirá algo como “você não sabe o quanto Eu esperei por esse dia, Leo. Seja bem vindo e entre na festa que Eu preparei para vocês”.

Ah como eu aguardo esse dia =)

4 Comentários

Arquivado em Pensamentos