Arquivo do mês: março 2010

Banheiro de Balada

Não sou baladeiro, nunca fui muito de lugares onde não se dá para conversar direito. E também não condeno, creio que quem quer se embebedar não precisa ir à balada de madrugada e acho que tem muita gente que vai com o intuito de se divertir com os amigos.

Infelizmente, muita gente vai para a balada porque quer esquecer um pouco dos problemas de casa, dos pais divorciados, do abuso sexual de algum tio, de uma traição de um namorado que não soube valorizar, enfim, a lista é interminável. Tem gente que vai por causa da pegação mesmo, mas não dá para mentir que muitos guardam motivos que não querem falar e só querem esquecer.

É na balada que muitas garotas usam pouca roupa porque pensam que assim serão valorizadas e é na balada que meninos pensam que são homens de verdade baseado no número de garotas que conseguem em uma noite. São tentativas no mínimo desesperadas de esconder alguma coisa. E se você não acredita em mim, da próxima vez que você for em alguma balada, dê uma passada no banheiro e preste atenção.

Sexta-feira passada fui a uma festa de formatura com diversos amigos e foi super divertido, nós dançamos, demos risada, matamos as saudades de músicas antigas e comemos muito sorvete. Como toda boa formatura, a balada é sempre bem legal, todo mundo pula e se diverte.
Em um dos momentos a gente saiu da pista de dança para ir pegar alguma coisa para beber e dois de nós foram ao banheiro. Voltaram de lá contando que havia um cara chorando com um amigo que o consolava. Sabe quando vêm aqueles lampejos na sua cabeça de coisas passadas?

Recordações vieram à minha mente de quando eu saía com amigos e ia ao banheiro de alguma festa ou balada e via gente vomitada prometendo nunca beber novamente, rapazes chorando porque suas namoradas haviam encontrado outro e os deixaram sem mais nem menos, amigos meus que precisavam que alguém os carregasse até o carro e muitas vezes alguém tinha de dirigir por eles já que não tinham condição nenhuma de conduzir um automóvel.

Um desses dias conversei com uma amiga e ela estava chateada porque um rapaz que lhe interessava ficou bêbado e lhe disse que não se importava com ela. Ela queria saber a minha opinião e perguntou se deveria desconsiderar o que ele falou e a maneira como agiu só porque estava bêbado. Foi dolorido dizer isso a ela, mas as pessoas não mentem quando bebem demais, mas a verdade vem à tona. No caso do rapaz e de todas as outras pessoas que se revelam quando bebem demais, o alcóol não faz com que ninguém minta, só faz com a nua e crua verdade seja revelada.

Já pensou que nos dias de hoje, Jesus estaria nos banheiros de balada? Eu sei que muita gente pensa que Ele viveria fechado nas igrejas e era chato como os religiosos vestidos com seus ternos “santos” obrigatórios mesmo debaixo de 40 ºC nas praias cariocas.

Mas Ele nunca foi assim, as pessoas O amavam tanto porque Ele era como elas ao mesmo tempo que não tinha pecado. Jesus amava pessoas e esse amor fazia com que muitos quisessem estar perto Dele. Jesus buscava os perdidos, os desesperados, aqueles que se fechavam no próprio sofrimento e fingiam que nada estava acontecendo. Jesus não só convida as pessoas a virem a Ele, Jesus busca e fornece aquilo que todos procuram com tanta insistência: esperança.

Jesus não é nada como muita gente diz ou vende por aí. Se duvida, não custa nada conhecê-Lo, você não tem nada a perder.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Pensamentos