Arquivo do mês: junho 2011

Deus e Frozen Yogurt

Hoje não foi legal. Não aconteceu nada de ruim em meu trabalho, também nada de bom. Mais de uma vez me perguntaram se eu estava bem. Eu estou, não aconteceu nada. Mas foi um daqueles dias difíceis de saborear. Parecia que o dia tinha gosto de cinzas… Logo que terminou meu expediente, foi ao Shopping perto do escritório comprar um Frozen Yogurt. Tenho descoberto um novo prazer em tomar esta sobremesa, gelada, gostosa e saudável. Pode me chamar de gordo, mas o Frozen Yogurt deu um “up” no fim do dia. Vim caminhando, comparando o decorrer do hoje com o sabor do frozen  yogurt até chegar em casa. Terminei logo que entrei no prédio, pensando em como Deus tem sido bom. Mesmo quando o dia não é fácil e sinto o peso do mundo nas contas, Deus é bom. Aquele sabor refrescante me fez lembrar de um Deus refrescante.

Os antigos professores da Torá tinham um costume de começar suas aulas com as crianças que vinham aprender pela primeira vez sobre a lei de Deus. Pegavam um pouco de mel, pingavam uma gota na mão de cada um dos pequenos para que experimentassem aquele doce sabor e lhes diziam “que a Palavra do SENHOR seja como mel aos seus lábios.”

E quando a palavra de Deus perde o sabor de mel?

Faz tanto tempo que observo pessoas que se aproximam de Deus com fatiga por causa daquilo que Deus diz que é certo ou errado. Vejo pessoas lendo a bíblia com tanto pesar, como se tudo que Deus quisesse fosse ruim e elas tivessem sempre opiniões melhores.

No livro de Êxodo, Deus liberta os escravos israelitas de um governo opressor do faraó egípcio e o povo celebra essa libertação com dança, música e festejando de uma forma que qualquer república da ESPM se sentiria diminuída. Deus os faz passar por um deserto e eles caminham no deserto por um longo tempo, chegando ao ponto de que o povo começa a sentir saudade da vida no Egito. Sentir saudades da vida de opressão e desespero. Certa vez, uma garota me disse “Deus quer demais de mim e eu sinto falta da vida que levava antes.” Por que a saudade do Egito?

Mais tarde, no livro de Mateus, Jesus diz “tomem sobre mim o meu jugo.” O jugo era uma ferramenta utilizada na agricultura por animais que aravam a terra, foi criado para tornar o trabalho mais leve. O jugo também era o conjunto de ensinamentos de um rabino, sua interpretação daquilo que a Lei dizia. E Jesus ainda acrescenta “meu jugo é leve.”

Aquilo que Deus falou não foi dito para que você fosse mais oprimido com novas responsabilidades, além do que você já precisa fazer. Se você enxergar a bíblia como um livro de obrigações, ela sempre terá gosto de cinzas. A bíblia é a história de que redenção é possível. Redenção é possível para nós.

Quando você sentir o peso do mundo nas costas, que a Palavra de Deus seja como Frozen Yogurt nos seus lábios. Porque a redenção é simplesmente saborosa.

P. S.: Caso você não goste de Frozen Yogurt, substitua por Häagen-Dazs ou sua sobremesa favorita e se delicie.

2 Comentários

Arquivado em Pensamentos, Trabalho

Caps Lock – A diferença que ele faz

Deixe um comentário

Arquivado em Geek moment, Trabalho

Promessas

As pessoas sempre fazem promessas. Mas as promessas são superestimadas.Todas as semanas, casais de diversas partes do mundo fazem promessas no altar, promessas de que vão mudar, promessas de que a partir daquele dia, seriam novas criaturas.

O problema é que promessas não valem de nada quando uma pessoa não está capacitada para cumpri-las. Promessas só são válidas se realmente refletem um desejo interno que pode ser externalizado nas ações de quem promete.

O que realmente indica se uma pessoa é capaz de cumprir sua promessa é seu histórico. Sua caminhada com Deus, sua vontade de mudar, sua busca em ser uma nova pessoa.

Pessoas tolas acreditam que um dia encontrarão a pessoa certa e tudo mudará.

Pessoas sábias têm convicção que precisam mudar hoje para mudar o seu futuro.

Via @AndyStanley

Aprendi em: http://www.northpoint.org/messages/the-new-rules-for-love-sex-and-dating

 

Deixe um comentário

Arquivado em Minha caminhada

A escola da pornografia

A pornografia é como uma escola. Muitos homens decidem por livre espontânea vontade matricular-se nela crendo que podem cancelar a matrícula a qualquer momento. E nessa escola se aprende basicamente três lições:

  1. Um corpo não é suficiente
  2. Um corpo real não é suficiente
  3. O corpo da sua esposa não é suficiente

Homens, cancelem a matrícula enquanto é tempo, pois elas, esposas, que sofrerão tendo de competir com mulheres que nem são reais.

(Via @AndyStanley)

Deixe um comentário

Arquivado em Minha caminhada